quinta-feira, 5 de maio de 2011

Apnéia...




E é quando esvazio meus pulmões que teu nome vem à minha cabeça. Mas seria muito fácil desviar meu corpo dessas poucas letras. Difícil é, a cada minuto, esbarrar em memórias, tropeçar em fotos e até, ás vezes, prender-me às histórias, por livre e espontânea vontade. Abrir os braços e alçar vôo é muito mais doloroso quando eles ainda estão unidos por algemas. Descobri-me assim em pleno vôo livre rumo ao chão, quando meu relógio já marcava "tarde demais". E é quando eu encho novamente meus pulmões que eu percebo que teu nome permanece escrito em mim. É só fechar meus olhos e te ver escrita em minhas pálpebras.



- Lucas Silveira



Nenhum comentário:

Postar um comentário