sábado, 12 de maio de 2012

...Sem Mais! ...

Pode pá, pode pá, Neguin...
O mesmo sol que nasce pra você,
Também nasce pra mim.
E esse sol vai clarear,
Já vem lá, ja vem lá, ja vem lá, já vem lá. Pode pá!



Eu que só tinha um chinelo beira-Rio,
De bike, nem sonhava com Nike nem com Mic pelo Brasil.
Queria um pão com Mortadela,
E um pião que zuncasse na roda,
Pintava pra que ficasse mais foda.
Sonhava com carro maneiro pra atiça com as mina
Sonhava com algum dinheiro pra por gasolina

Deixei meus sonhos, ou eles que me deixaram,
Na real, nem me queixei e eles também nem se queixaram.

Porque o que era meu tava guardado,
Eu me senti sendo convocado, como um chamado, disse 'Vem'!

Frente quando Brow tinha falado
Que um malote com grana e fama ia ser jogado
Quase pulei atrás também.



Mas o RAP salvou minha vida,
Pra que hoje eu salve outra vida,
Pra que a chama seja mantida.

Sou mais um discípulo de MV Bill, e Helião..

Um só vacilo meu e eu vou de Promessa a Decepção.


Já tentei tocar violão, fui violeiro.
Já tentei colar na lição, fui bagunceiro.
Um dia eu tentei fazer RAP, parceiro.
E hoje eu sinto nitidamente que eu sou o RAP por inteiro.

Eu sou meio pacato, as vezes impulsivo.
Eu sou muito sensato, as vezes emotivo.
Eu sou um tanto chato, um tanto positivo.
Logo, de fato, complicadamente Vivo.



Minha flor, diz que me ama, eu preciso partir...
Cuida da minha cama pra quando eu voltar, dormir bem.
Me olha da janela e me vê ir,
Vem...! 

Volta pra dentro e acende uma vela...
Espero que eu tenha sido um bom filho,
Vai, ora por mim, pra que eu me torne um bom Pai...
Segura as lágrimas, guarda bem lá no fundo...
Eu queria ser só seu, mas DEUS me fez propriedade do mundo...!


Muitos nem vão entender esse RAP,
Pra mim é mais que entreter os Muleque.
Pra mim é mais do que casas lotadas,
Mais que mulheres safadas,
Pra mim são vidas resgatadas.


Você merece o mundo meu irmão!
Quando te chamarem de vagabundo, diz 'firmão'...
Já ví sangue do mesmo sangue que eu me chamando assim (hahaha)
Incrível porque hoje eles sorriem pra mim.
Os meus iguais tão no corre
Tão escapando do porre,
Se o mundo não te socorre,
vai você lá pra Rua.
Vê se se mantem na linha,
Cada irmãozinho, irmãzinha,
Essa musica é minha,
Mas ela é também é tão sua.
Sempre sonhei com muito mais que o itinerário,
De um salario ordinário, um pé de meia pra contar...
Amor, to indo agora, mas isso não é ir embora,
É resolver uns bagulho lá fora e ta melhor quando eu voltar...

Pode pá, pode pá, Neguin.
O mesmo sol que nasce pra você
Tambem nasce pra mim
E esse sol vai clarear,
Já vem lá, ja vem lá, já vem lá, já vem lá.
Pode pá!





(Pode Pá - Projota)


Nenhum comentário:

Postar um comentário