domingo, 18 de novembro de 2012

Mas qualquer um pode ver, que você é de mentira!


Deixei dinheiro pra me visitar.
Te dei meu sangue pra você pintar a parede da sala de estar, 

Mas não tem volta...

Te dei meu tempo pra você usar da forma que você bem entender,
Mas eu nunca disse - meu amor - que era de graça!


Tem algo que eu sempre precisei, 
secretamente eu requisitei, 
e até quando eu comecei a gritar, 
você não me ouviu...


E eu me contento com o que sobrou, 
Eu como o pão que o diabo amassou!
Mas eu não divido com você nem um segundo do que me resta a viver...


Ninguém mais pode me ouvir, 
Ninguém mais pode me parar,
Chegou a hora de gritar! (wooooah...)

Tudo o que eu tinha se acabou, 
E foi você quem me tomou!
Que cara você vai fazer quando a sua casa desabar?


Um dia desses acordei não conseguia respirar, 
enquanto não cuspisse tudo o que eu tinha pra falar...
Na sua frente, na sua cara, tudo o que eu sei que você é! 
Que você esconde atrás desse sorriso torto de quem não sabe como é...

Olhar pra frente e ver que não há pra onde ir, 

e saber que o seu lugar é muito longe daqui...

Meu mundo é muito maior, seu mundo é uma mentira! 
Que você mesma inventou...


Ninguém mais pode me ouvir, 
Ninguém mais pode me parar,
Chegou a hora de gritar! (wooooah...)

Tudo o que eu tinha se acabou, 
E foi você quem me tomou!
Que cara você vai fazer quando a sua casa desabar?


Mas olha só pra você, ficou horrível sem mim!
Achou que ia arrasar... mais de mil caras afim...


Mas qualquer um pode ver, que você é de mentira! 
Que só eu mesma acreditei...

Ninguém mais pode me ouvir, 
Ninguém mais pode me parar,

Chegou a hora de gritar! (wooooah...)


Tudo o que eu tinha se acabou, 
E foi você quem me tomou!
Que cara você vai fazer quando a sua casa desabar?



(Die Lüge - Fresno)

Nenhum comentário:

Postar um comentário