terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Felizes são aqueles que não sentem...




Farol
E nem de longe a gente pode disfarçar o que há por trás da pele, mas saiba que o teu olho me emburrece mais do que as mentiras que eu li nos jornais de ontem...




E se eu explodir?
Diga que vem me vistar
Pra juntar os pedaços de mim?




Mas será que no corpo de um outro alguém 
meu coração pode funcionar bem melhor?

Bem aventurados os que mentem!
Felizes são aqueles que não sentem...
E eu sentenciado à reclusão, à luz desse farol da solidão...

Esse lampejo guia os barcos até os cais, mas queima os nossos olhos... e é pra que numa noite de escuridão a gente encontre uma só razão para continuar vivendo. E à todo vapor navego até o mundo se dobrar, sumindo no horizonte...



Eu volto quando o vento me fizer voltar, 
tenho milhões de estrelas só pra me guiar!

Bem aventurados os que mentem!
Felizes são aqueles que não sentem...
E eu sentenciado à reclusão, à luz desse farol da solidão...



( Farol - Fresno - )



Nenhum comentário:

Postar um comentário