terça-feira, 8 de janeiro de 2013

...não tente entender, só sinta...






Senhor Deus, essa noite eu não queria pedir nada, porque eu já pedi tanto e tanta coisa me foi dada: 
- Saúde pra correr e proteção pelas calçadas. Fui invisível pra cada alma mal intencionada...




Mas nessa madrugada eu não me sinto bem. Todo mundo dormiu e eu preciso falar com alguém:
- Esse silêncio me tira do trilho, e ninguém melhor que o pai pra escutar o desabafo do filho...

Mó pilha, talvez a culpa disso seja minha! Sei que o senhor sempre intervém pra me manter na linha - pra que eu não vire entulho na caçamba - mas às vezes isso pesa e essa linha vira uma corda bamba...

Como uma cobra anda - se rastejando - o mundo me quer assim: aqui cada cachorro que se lamba!


Caramba, fica difícil desse jeito... olho tanto pra fora e não enxergo meu próprio defeito...

Um pecador (só), carrega a dor (só), humano também chamado de sonhador, só que a colheita vem depois. Ando um passo por acerto  e a cada erro parece que eu volto dois (oh)...

Eu não sou melhor do que ninguém, não (não!)
Eu não mereço mais do que ninguém, não (também não!)
Só tô mantendo os meus passos no chão:
- Tudo o que eu peço nessa noite é perdão!


Porque mil cairão, mil cairão, mil mas eu não serei atingido. Mil cairão, mil cairão, mil, mas eu não serei atingido...

Teve aquela vez que eu quase morri afogado e o senhor me puxou quando eu já tinha me entregado, eu merecia um puxão de orelha, fui babaca quando roubei anéis e uma corrente na barraca só pra mostrar pros meus amigo (moleque exibido), não tinha noção nenhuma do perigo... Ou daquela outra vez em que eu quase fui roubado e ao invés disso o que eu ganhei foi companhia até o mercado. ( Entendi o recado! ) ...não sei o que eu fiz demais pra ser tão bem cuidado! Já tive todo errado, bolado de trocar os passos quase caindo pro outro lado , mas sei que alguém me carregava nos braços.

Me ofereceram crime, só que eu recusei....Me ofereceram farinha, só que eu recusei...

Se a vontade era minha eu não sei, 

Só sei que no vale da sombra e da morte eu fechei os olhos e passei !

Só tenho à agradecer por cada dia (obrigado!)  e por me fazer maior do que qualquer problema.
Tem quem não acredite em ti, enfim... 
Eu acredito por saber que o senhor também acredita em mim !


Um pecador (só), carrega a dor (só), humano também chamado de sonhador, só que a colheita vem depois. Ando um passo por acerto  e a cada erro parece que eu volto dois (oh)...  


Eu não sou melhor do que ninguém, não (não!)
Eu não mereço mais do que ninguém, não (também não!)
Só tô mantendo os meus passos no chão:
- Tudo o que eu peço nessa noite é perdão!



Porque mil cairão, mil cairão, mil mas eu não serei atingido. Mil cairão, mil cairão, mil, mas eu não serei atingido...








( Mil cairão - Rashid - )
[título trecho de "Que Assim Seja"] 


Nenhum comentário:

Postar um comentário