sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Liberdade....Amor...Eu...Você...


Quer Liberdade? Ame-se Muito!

Desfrutando da minha tranquilidade, reparo em volta e vejo pessoas importantes ficando velhas antes da hora.

Muitos reclamando que estão cansados: de trabalhar, de estudar, de tentar ser alguém melhor nisso, naquilo ou talvez de ser mais bonito(a), alguém mais interessante ou comprar aquela roupa pra ir naquela festa! Se deixaram sugar pela pressão social. Liberdade se torna um conceito cada vez menos assimilado, em pleno XXI.
É tanta preparação que o show fica pra depois e, quando acontece, traz a frustração pois acreditaram que algo externo lhes traria satisfação interna.
Ledo engano! Enquanto as pessoas buscam a paz usando a guerra, parecem se acorrentar às idéias improdutivas.
E que se nota é o mais completo desespero da geração mais perdida que já existiu.

Ao encarar o próximo como um ser igual a você (com diversas qualidades, desejos, sonhos e obviamente, muitíssimos defeitos), você estará mais apto a se conectar por inteiro.
Existe algo mais sereno do que conhecer um ser humano e admirá-lo por suas fraquezas e aptidões? Se interessar pela pessoa que existe por trás da máscara?
Ser você aquele que vai estar lá para cuidar dela quando ela somente precisava da sua ligação em um momento triste? Saber como surpreender para despertar um doce sorriso sincero em pessoas especiais? Ou, ainda, como causar transformações físicas de excitação sem nem mesmo tocá-la?

Amar a sua espécie com toda sua energia pode ser muito interessante. Talvez seja o único sentido de estar vivo.

Em um ambiente com tanta informação e oportunidades é ingênuo permitir-se usar conceitos ultrapassados:
-Por que tantos rótulos?
-Por que tanta necessidade em obter futilidades?
-Por que se questionar se deve ou não fazer sexo no primeiro encontro?
-E onde está definido o que é sexo?
-Por que esconder desejos ou criar barreiras invisíveis?
-Por que o preconceito com as minorias?
-Por que cultivar a pseudo-amizade que lhe faz mal?
-Por que achar-se no direito de julgar o certo ou errado?
-Por que buscar conselhos com quem desconhece seus sentimentos?
-Aliás, por que será que algumas pessoas se afastaram tanto de si mesmas?

Hey! Hey!
Ser livre é amar a si!

O processo de amadurecimento é desregrado: algumas pessoas já nascem "maduras" enquanto outras infelizmente morrerão com suas bitolas. Pesquise a teoria mas saiba que somente na prática, quando menos esperar, talvez se depare com a simples verdade: sua satisfação interpessoal reside na certeza de estar com alguém pela decisão livre desta mesma.

Quando existe necessidade demasiada de controlar o discurso, saiba que este relacionamento não está saudável e precisa de reparos. Não se procura justificativas para o que não acontece. Elas podem não existir e, mesmo que existam, você nem sempre quer realmente sabê-las.
Pior ainda é ter de explicá-las.

Mas às vezes encontramos pessoas que conseguem se conectar fortemente com nossas idéias. Nesses raros acontecimentos, conseguimos alinhar nossos conceitos de vida, relacionamento e sociedade.
Seja apenas para bater um papo de madrugada, tomar um bebida e jogar conversa fora, mas em tais momentos nos sentimos muito bem. Estamos saboreando a mente de pessoas que julgamos estarem no mesmo estágio de evolução que a nossa mente ocupa. E quem nunca se pegou filosofando com um estranho que pode virar uma amizade? Ou que seguirá sua vida e de quem nunca mais teremos notícias?

Blablabla? Filosofia? Terapia? Psicologia? Biologia? Uma religião nova aqui e outra ali? Meditação? Segredos? Manuais de paquera? Revolução feminista? Direitos iguais? Ética? Estereótipos? Roteiros prontos? Estudos de comportamento?
Ok, ok... Dá um tempo!

Começos, meios, fins? Por quê? Quando algo acaba? Quando é que começou mesmo?
A graça de viver está nas surpresas e seguir fórmulas retira o encanto.

As pessoas estão sendo bombardeadas por revistas, novelas, documentários, jornais e sites que as "ensinam" como se comportar.
E o erro se dá justamente pelos excessos! É deste mesmo excesso que estão cansadas.
Precisam desenvolver a única coisa de que estavam esquecendo: sua independência emocional.
Todas as pessoas mais interessantes que você conheceu ou vai conhecer, já sofreram bastante enquanto desenvolviam este aspecto em suas vidas.

Tantos erros e tantos acertos!?
Tanta dor e tanto prazer!?
Tanta lágrima e tanto gozo!?
Tantos fluídos nossos são trocados até que possamos desenvolver a tal da maturidade.
Visão vulgar? Se essa é a sua interpretação então você ainda tem muito o que expandir.
Hoje tenho a certeza de que foi justamente essa vivência que transformou as pessoas que eu mais adoro no que elas são atualmente!
Todo o passado, de encontros e desencontros, foi necessário para que eu hoje me interessasse justamente pelas experiências que adquiriram, ou seja, pelas pessoas evoluídas em que se tornaram!

Mas todos cometemos deslizes. Sem hipocrisia, sejamos francos!
Existe prazer nas coisas fúteis e admiro aqueles que se permitem afirmar isso com a mesma sinceridade que eu. Só que infelizmente, as pessoas deixaram de se olhar no olhos...
E trocam "emails" ou "testimonials" ao invés de ligarem... esqueceram que ouvir a voz é bom!
Ou não é!?
Deixaram de se declarar pois, hoje em dia, gostar é se expor.
Mas quem disse que gostar é exclusivo? Nunca foi... não há garantias!
Anéis de compromisso? Me poupe!
Tal qual o ciúme obsessivo, restrições à liberdade são sinais de insegurança...
E por que não dizer: um sinal de desrespeito às escolhas do outro ser humano!?
Qual a necessidade de provar o que deveria acontecer naturalmente?

Não seria por permitir a liberdade que um homem deixaria de ser homem de verdade!
Ele se mostra homem de verdade quando apresenta:
- responsabilidade com os sentimentos de uma mulher
- caráter para lidar com uma mulher moderna independente
- compreensão para saber se comunicar com respeito
- confiança na pegada e que sabe o que está fazendo.
E o homem de verdade sabe muito bem como proporcionar isso.
E a mulher de verdade sabe muito bem como obter isso.

O prazer de estarmos curtindo alguém é sabermos que, ambos, poderiam estar fazendo outras atividades, mas preferiram desfrutar dessa companhia. Presentes personalizados possuem valor infinito e favores sem pretensão de retorno são gestos nobres.
Como sempre afirmei: "Quase tudo se consegue por insistência, mas pessoas, não.".

E mesmo quando todos os clichês já foram ditos e reescritos com palavras diferentes, registro também a minha simples e muito verdadeira filosofia de vida:
Quanto mais eu me amo, mais consigo amar os outros.

E pergunto: você já fez o dia de alguém ficar mais feliz, hoje?
Quer Liberdade? Ame-se Muito!
------------------------------
Eu me amo e te amo MTO tbm...por isso sou livre! =]

Nenhum comentário:

Postar um comentário