domingo, 16 de novembro de 2014

Ostra Feliz Não Faz Pérola!



''...A ostra, para fazer uma pérola, precisa ter dentro de si um grão de areia que a faça sofrer. Sofrendo, a ostra diz para si mesma : "Preciso envolver esta areia pontuda que me machuca com uma esfera lisa que lhe tire as pontas…"

Ostras felizes demais não fazem pérolas…pessoas felizes ao extremo não sentem a necessidade de criar. 

O ato criador, seja na ciência ou na arte, surge sempre de uma dor. Não é preciso que seja uma dor doída…

Por vezes a dor aparece como aquela coceira que tem o nome de curiosidade. 

A "dor" em si, faz bem de vez em quando. Ela nos impulsiona à evolução e ao sucesso. 

Portanto, a qualquer sinal de dor, seja ela como for, agradeça! 

O comodismo não muda ninguém. Pra falar a verdade, é ela, a própria dor, de suas 1001 formas que nos ensina a andar pra frente e buscarmos a felicidade mas pequenas coisas que estão ao nosso redor ou dentro de nós mesmos. 

É ela quem nos ensina a curar feridas e a aplicar o remédio certo em qualquer sinal incômodo.

Doeu? Coçou? Agradeça! 

O que não nos move um dedo sequer, também não nos tira do lugar. 

Se não dói, não incomoda. Se não incomoda, ficamos conformados (muitas vezes com o mínimo), acostumamos com isso e não buscamos nada de novo.

A dor nos faz sair da mesmice e procurar maneiras rápidas pra aliviar aquilo que incomoda. Nos faz querer curar feridas, aliviar ''coceiras'' ou mesmo levantar, caçar qualquer remédio, mesmo que seja para nos ajudar a ''vomitar'' o que não faz bem.

Deixe o pessimismo de lado.
Curta um pouco a sua dor. 

Dela você pode tirar lições valiosas que só cabem à você. Ninguém poderá senti-la, ninguém poderá passá-la ou pará-la, apenas ajudar VOCÊ a lidar com ela da maneira que achar certo.

Aproveite-a. Estude-a. Aprenda com ela.

É a sua carne, a sua pele, a sua alma...só cabe a VOCÊ descobrir a melhor forma de lidar com cada pedacinho seu.

Evolua. Sempre e Sempre! 
Doendo, Coçando, Ardendo... ou não.'' : )




( - Inspirada em algumas palavras de Rubem Alves 
 Por Shelley Macedo )



Dores e Amores...


Existem duas dores de amor:
A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.
A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.
A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado.
Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida:
a dor de abandonar o amor que sentíamos.
A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre,
sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também…
Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou.
Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém.
É que, sem se darem conta, não querem se desprender.
Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir,
lembrança de uma época bonita que foi vivida…
Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual
a gente se apega.
Faz parte de nós.
Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo,
que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.
É uma dor mais amena, quase imperceptível.
Talvez, por isso, costuma durar mais do que a ‘dor-de-cotovelo’ propriamente dita.
É uma dor que nos confunde.
Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: “Eu amo, logo existo”.
Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo.
É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente…
E só então a gente poderá amar, de novo.



(Martha Medeiros)



sábado, 24 de maio de 2014

E por falar em finais...

- Eu só Agradeço -



''Nossa história de amor foi épica (...) Não vou falar da nossa história de amor pra vocês porque, como todas as histórias de amor de verdade, ela vai morrer com a gente, como deve ser. (...) Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. (...) Há dias, muitos deles,  em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter (...). Mas, meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e eu sou muito grata por isso...''


- A culpa é das estrelas
- John Green

segunda-feira, 24 de março de 2014

.. Explicações ..



Por que as pessoas entram na sua vida?

Pessoas entram na sua vida por uma "Razão", uma "Estação" ou uma "Vida Inteira". Quando você percebe qual deles é, você vai saber o que fazer por cada pessoa.

Quando alguém está em sua vida por uma "Razão"... é, geralmente, para suprir uma necessidade que você demonstrou. Elas vêm para auxiliá-lo numa dificuldade, te fornecer orientação e apoio, ajudá-lo física, emocional ou espiritualmente. Elas poderão parecer como uma dádiva de Deus, e são! Elas estão lá pela razão que você precisa que eles estejam lá. Então, sem nenhuma atitude errada de sua parte, ou em uma hora inconveniente, esta pessoa vai dizer ou fazer alguma coisa para levar essa relação a um fim. Ás vezes, essas pessoas morrem. Ás vezes, eles simplesmente se vão. Ás vezes, eles agem e te forçam a tomar uma posição. O que devemos entender é que nossas necessidades foram atendidas, nossos desejos preenchidos e o trabalho delas, feito. As suas orações foram atendidas. E agora é tempo de ir.

Quando pessoas entram em nossas vidas por uma "Estação", é porque chegou sua vez de dividir, crescer e aprender. Elas trazem para você a experiência da paz, ou fazem você rir. Elas poderão ensiná-lo algo que você nunca fez. Elas, geralmente, te dão uma quantidade enorme de prazer... Acredite! É real! Mas somente por uma "Estação".

Relacionamentos de uma "Vida Inteira" te ensinam lições para a vida inteira: coisas que você deve construir para ter uma formação emocional sólida. Sua tarefa é aceitar a lição, amar a pessoa, e colocar o que você aprendeu em uso em todos os outros tipos de relacionamentos e áreas de sua vida. 

É dito que o amor é cego, mas a amizade é clarividente. 
Obrigado por ser parte da minha vida.

Pare aqui e simplesmente SORRIA. = )



"Trabalhe como se você não precisasse do dinheiro,
Ame como se você nunca tivesse sido magoado, e dance como
se ninguém estivesse te observando."

"O maior risco da vida é não fazer NADA!"



- Martha Medeiros




sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Quem sabe um dia desses...


""Um dia você vai encontrar alguém que te ame de verdade. Alguém que saiba fazer durar, não para sempre, mas que consiga tornar eterno enquanto dure. E ele vai te chamar de linda mesmo quando você estiver soada e descabelada. Ele vai rir quando você acordar com aquela cara de sono e dizer que não se importa, que ele te ama mesmo assim. Um dia, você vai encontrar alguém que te complete, que preencha aquele vazio dentro do teu peito. Alguém que seque tuas lágrimas e te faça sorrir. Alguém que te chame de idiota e depois te abrace bem forte, dizendo ”você é a minha idiota”. Um dia você vai encontrar alguém que te apresente pros amigos, pra mãe, e que fará todos eles ficarem de saco cheio e enjoados de ouvir seu nome. Um dia você vai encontrar o tal príncipe encantado, mas ele não terá um cavalo, muito menos vestirá roupas finas. Talvez ele use all star e bermuda. Talvez ele esteja a pé ou em cima de um skate. Um dia você vai encontrar o verdadeiro amor. Ele vai segurar a sua mão e deitar no seu colo. Você vai encostar a cabeça no peito dele e sentir o coração dele batendo, por você. Ele vai conhecer todos os teus gostos, vai te amar com todas as manias. Vai discutir contigo e você vai começar a falar sem parar até ele te calar bom um beijo. E depois vocês vão rir. Um dia você vai encontrar alguém que veja as estrelas ao teu lado, que te leve pra ver o por do sol. Um dia você vai conhecer alguém que te entenda, que te apoie, que te surpreenda a cada momento. Que te ame mesmo você sendo uma maluca ciumenta que implica com tudo. Que ria da tua risada e do teu jeito de falar. Um dia você vai encontrar alguém que vai te tirar do fundo do poço, que vai te segurar quando você estiver caindo. Ele vai te ensinar muitas coisas e não vai ficar bravo quando você disser ‘eu não entendi’. Ele vai ser fofo, romântico, safado. Ele vai ser tudo o que você sempre quis. Ele vai falar o que você precisa ouvir. Vai cantar pra você, vai errar a letra e cantar no tom errado, e mesmo assim você vai achar a coisa mais linda do mundo. Um dia você vai encontrar alguém que goste das mesmas coisas que você e que respeite as diferenças. Ele vai assistir comédias românticas e fingir que gosta, só pra não te decepcionar. Ele não vai negar quando você estiver triste e pedir pra que ele vá na sua casa tarde da noite. Ele vai te emprestar o casaco e te abraçar, sem você pedir. Ele vai dizer o quanto você é perfeita, e o quanto você o faz feliz. E você o fará feliz. Você será o motivo do sorriso dele. E quando ele te olhar com aquela cara de cachorro sem dono, você vai se derreter e fazer o que ele quiser. Vocês vão passar os domingos juntos, sentados no meio fio falando sobre nada. Vão ficar embaixo do edredom falando coisas que você jamais imaginava que falaria um dia. Ele vai te chamar de gostosa, e vai tentar fazer uma cara sexy, e então você vai rir alto a ponto de acordar a casa inteira. Ele vai te deixar arrepiada apenas com o contato da pele dele com a sua. Você vai se fazer de difícil mesmo querendo jogar ele na cama. Ele vai colocar teu cabelo atrás da orelha e segurar o seu queixo enquanto te beija. Ele vai apertar a tua cintura e te puxar pra perto. Vai morder teu pescoço e você vai rir, como se aquilo não te deixasse louca. Ele vai desejar cada milimetro do seu corpo. Ele vai andar de mãos dadas contigo e ir no show daquela banda que você ama, mas que ele odeia. Vai te provocar e depois fingir que nada aconteceu. Ele vai te deixar louca, histérica. Ele te tratará bem, você será a princesa dele. Ele vai dizer que te ama infinitas vezes, e vai discutir quando você disser que ama mais. Ele vai ganhar. Algumas vezes, ele irá falhar, afinal, quem nunca falhou? Mas ele vai te mandar um bilhetinho dizendo que te ama e que não vive sem você, e vai aparecer na tua porta com uma margarida que ele roubou no jardim do vizinho. Ele não vai te deixar partir quando você quiser ir embora. Ele te dará um milhão de motivos pra ficar. Um dia, você vai encontrar alguém que te ame do jeito que você é, cheia de defeitos, cheia de manias insuportáveis, toda complicada, toda errada, toda imperfeita. Um dia, quando você menos esperar, a felicidade vai bater a tua porta, e ela vai ter nome, endereço, e um sorriso lindo."

E nem sempre ''ele'' é ELE,
Pode ser ELA também!
: )


 - Aprendendo a amar




segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Porque eu sei que é amor ...

“E quem ama se surpreende quando é amado, porque não cobra nem espera recompensa.”

Acho lindo isso que nós temos e insistimos em dizer que não temos. Gosto disso que conseguimos construir com o tempo e do fato de nos perdoarmos sem nunca termos pedido desculpas. Nossos dedos nunca se encaixaram perfeitamente, assim como nos filmes, mas gosto do calor que transmitimos um para o outro. Por mais que briguemos dia sim e dia não, te quero por perto até o meu último segundo. Tô pouco me lixando se vai ser difícil e complicado, porque sei lá, eu sinto que vale a pena e eu sei que no final tudo se ajeita. A gente conversa o dia todo e ainda assim sinto falta sua na hora que vou dormir e depois fico feliz de novo porque sei que ainda te terei ao acordar. É meio mística essa sua capacidade de saber quando estou mal sem ao menos eu falar, sem ao menos precisar olhar para o meu rosto. És como uma estrada ruim no meio da viagem, é um porre, um saco, uma merda, mas bem lá no fundo eu sei, só eu sei, que o destino vale toda a pena. Todas as noites peço baixinho para o papai do céu para que me deixe contigo para sempre e também para que esse para sempre realmente dure para sempre...”


 Prévia de Meu Primeiro (quase) Amor, Anne.